Categorias
Gastronomia

Dias melhores virão

Estamos com saudades das nossas mesas cheias, do chope trincado em brindes festivos, do aroma da costela no bafo, da música ao vivo que contagia o ambiente e da alegria dos nossos clientes e amigos.

Mas, por enquanto, seguindo as indicações para combater a pandemia do Coronavírus, mantemos as portas fechadas.

Não dá pra ser diferente, ainda que o nosso cardápio de compromissos nos tire o apetite. Funcionários, aluguel, custos fixos, manutenção e higienização do ambiente são questões que nos preocupam bastante.

De qualquer forma, ao longo de nossa história já enfrentamos crises de todos os portes.
Nos últimos 10 anos, por exemplo, foi uma crise após a outra. De acordo com estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV), de 2011 a 2020, o crescimento médio do Brasil foi de apenas 0,9% – a pior década em 120 anos!

Ao longo desse período, o país sofreu a maior recessão da história. O desemprego disparou, o endividamento das famílias cresceu e o investimento na economia se retraiu.
Acreditava-se que, após a crise, a retomada começaria a partir de 2017 e ganharia força nos anos seguintes. Mas isso não aconteceu.

O Brasil nunca demorou tanto para sair de uma recessão.
E, agora, atropelado pelo Coronavírus, o país se vira como pode para minimizar os impactos na economia.
Com estratégias e criatividade, sobrevivemos no passado e temos certeza de que venceremos mais esse desafio.

Claro que nada se compara à situação atual, em que estamos mobilizados pela quarentena, para que o Coronavírus faça menos vítimas por aqui.
Enquanto não podemos sair de casa para encontrar os amigos no Patriarca Bar, aproveite para ler, ver filmes, arrumar a casa, fazer uma receita nova. Afinal, a gente sempre reclama que não tem tempo…

Vamos te ajudar nesse último item, confira abaixo uma receita caseira de Costela no bafo enquanto não nos encontramos aqui na esquina da Aspiculeta com a Mourato Coelho, a principal da Vila Madalena:

Costela caseira no bafo

2 a 3 kg de costela de boi

3 dentes de alho amassados

4 colheres (sopa) de vinagre de vinho tinto

 Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Fazer

Limpe a carne retirando o excesso de gordura.

A costela  pode ser temperada no dia anterior e deixa-la marinando ou pode ser temperada na hora de ir para o forno, você tem duas maneiras, não tem muita diferença.

Coloque a carne temperada em uma assadeira e leve ao forno pré-aquecido a 250 graus por 30 minutos para selar um pouco por fora.

Retire a carne do forno e adicione 1 xícara de água na assadeira, cubra a costela com papel alumínio envolvendo toda a lateral da assadeira e volte a carne ao forno.

Reduza a temperatura do forno para 180 graus e  deixe a carne assar por aproximadamente 3 horas, retire o papel alumínio e deixe a costela no forno por mais 30 minutos para dourar por cima e bom apetite!

A boa notícia é quando isso acabar teremos bons motivos para comemorar, encontrar e abraçar amigos como nunca antes, e trazer de volta ao Patriarca Bar a alegria e boa gastronomia que marca sua história.

Categorias
História

Patriarca bar o melhor custo benefício na Vila Madalena

Com a proposta de trazer as raízes brasileiras para um ambiente descontraído e festivo em plena Vila Madalena, regado a chope trincando e comidas de dar água na boca, o Patriarca bar se firmou como o melhor custo benefício da região.

Inaugurada em 2007, o bar Patriarca ficou famoso pelos pratos que resgatam temperos e ingredientes usados na época do Brasil Colônia, que misturam sabores brasileiros com influências africanas e europeias.
O escritor e professor de gastronomia Ricardo Maranhão teve a missão de pesquisar os temperos, ingredientes e especiarias usados na época.

Os pratos homenageiam personalidades históricas do Brasil Colônia, da proclamação da República, do Brasil Império.
Eles estão presentes também na ambientação do lugar, já que o bar avarandado é decorado com ilustrações da artista plástica e cenógrafa Carla Caffé, que encheu as paredes e o teto com imagens dessas figuras da nossa história.

Projeto do arquiteto Jeff Baños, o ambiente possui todo o charme que a Vila Madalena pode oferecer, com mesas na calçada, atendimento atencioso, música ao vivo. E ganhou um megatelão na fachada logo quando o bar inaugurou que permanece ainda hoje, atraindo olhares.

Sabores e temperos bem brasileiros, os pratos à base de costela – grande destaque da casa – são batizados Padre Antonio Vieira, José Bonifácio, entre outras figuras históricas, propondo um quiz cultural nas mesas: quem sabe quem foram eles?

A costela assada no bafo, que derrete na boca, é a estrela da cozinha – já foi eleita várias vezes pela Veja SP como a melhor da cidade. Uma de suas três versões, a chamada Bento Gonçalves, é assada no bafo por 24 horas e chega à mesa em um réchaud, acompanhada de cebola glaceada com mel e shoyu, salada de rúcula, pão francês e feijão caseiro. Irresistível!

Mas nem só as costelas fazem a alegria dos comensais. As chamadas chapas de boteco também pipocam pelas mesas. A de Picanha, que acompanha cebola especial da casa e um gostoso creme de alho, costuma agradar em cheio. A Mista traz picanha, calabresa, filé mignon e filé de frango grelhados e servidos com legumes puxados na manteiga, farofa da casa, vinagrete e pães.

A Chapa de Calabresa leva o ingrediente-estrela flambado na cachaça, acompanhado de cebolas e pimenta biquinho, deliciosamente escoltada com vinagrete, farofa e pães.
Há, ainda, muitas opções de lanches, saladas, escondidinho e petiscos, com destaque para o delicioso bolinho de abóbora com carne seca – uma pedida que merece bis.
Bar de verdade tem cerveja boa e chope gelado. O Patriarca bar leva a sério a paixão nacional, e oferece mais de quinze tipos de cerveja e chope cremoso, estupidamente gelado.

O extenso cardápio de caipirinhas é um capítulo à parte. Também com nomes inspirados em personagens históricos, são preparadas com cachaça artesanal, vodca, saquê, e podem levar até picolé em suas receitas. A Dom Pedro I leva limão siciliano, lima da Pérsia, açúcar e gelo e acompanha picolé de limão, enquanto a República leva caju, lichia, abacaxi, açúcar e gelo, além do picolé de abacaxi.

A Patriarca, com frutas vermelhas e vodca, e a Brasileira, com frutas cítricas, são campeãs de audiência. Para quem gosta de tequila, a Capicuervo, leva maracujá, açúcar, gelo e sal na borda do copo e um delicioso picolé caseiro de limão!

O Patriarca bar é o lugar ideal para comer bem, tomar uma bela cerveja gelada e, ainda por cima, com o melhor custo benefício da Vila Madalena!
Então, já sabe onde você vai hoje à noite?